• Atendimento: Segunda – Sexta | 7:42 – 12:00 | 13:30 – 18:00
  • Plantão 24 horas (47) 3521 3046
  • Posts by Agência Wonzi

    Comunicação via GPRS

    Comunicação via GPRS, facilidade e segurança nos sistemas

    De maneira resumida, a comunicação via GPRS é um maneira de envio de pacotes de dados via rádio.

    A silga GPRS vem do inglês General Packet Radio Services, que trazendo para o português significa Serviços Gerais de Pacotes por Rádio.

    GPRS é uma tecnologia que tem o objetivo de aumentar as taxas de transferência de dados de maneira rápida, segura e sem interferência.

    Comunicação e sistemas de segurança

    A comunicação é um dos fatores básicos para que todo sistema de segurança eletrônica, seja residencial, comercial ou residencial, funcione corretamente.

    Isso é necessário para que todas as equipes de monitoramento, vigilância e também apoio móvel estejam em comunicação direta para que o trabalho seja realizado de maneira eficaz.

    No caso do monitoramento de alarmes, por exemplo, a comunicação é essencial para receber a notificação do problema e acionar o atendimento imediato ao local.

    Para que isso funcione, uma das principais tecnologias utilizadas é o GPRS (General Packet Radio Services), sigla em inglês para Serviços Gerais de Pacote por Rádio, que possibilita transferência de dados entre celulares e rápido acesso a redes.

    O GPRS pode aumentar as taxas de transferência em até dez vezes, configurando-se como uma solução de altíssimo padrão e que é capaz de revolucionar os sistemas de segurança e monitoramento de alarmes.

    É justamente por meio da tecnologia GPRS que, hoje em dia, temos acesso a internet de alta velocidade em smartphones, assim como a ampliação do serviço de dados em celulares para utilização de serviços de voz e mensagens ao mesmo tempo, sem interferência.

    Monitoramento de alarmes com comunicação via GPRS

    O monitoramento de alarmes via GPRS proporciona maior velocidade na transmissão de dados e, consequentemente, respostas mais rápidas dentro de todo o sistema de segurança residencial, comercial e industrial.

    Todos os sinais de alarme enviados via GPRS são transmitidos imediatamente para a central de monitoramento, sem interferências.

    É neste momento que uma ou mais equipes móveis são acionadas e vão até o local onde o problema foi detectado, de modo a verificar a ocorrência e adotar as medidas necessárias para garantir a segurança do cliente.

    Leia mais
    Segurança Eletrônica: Tudo o que você precisa saber

    Segurança Eletrônica: Tudo que você precisa saber

    Segurança eletrônica é parte da segurança, que por meio de sistemas eletrônicos, projetados para prevenir, monitorar, detectar e alarmar eventos previamente programados, busca promover a proteção de pessoas, numerários, bens e valores.

    Refere-se ao emprego de equipamentos eletrônicos, de forma integrada e sistematizada com o objetivo de garantir a segurança e a integridade das pessoas e bens.

    Os sistemas de segurança eletrônica permitem vigilância permanente sobre pessoas, numerários, valores, bens, áreas e estabelecimentos e tem como finalidades:

    • prevenir (dissuadir) ocorrências por meio do efeito dissuasivo;
    • detectar automaticamente o início de um evento indesejado; e
    • comunicar, remotamente, que algo esta em desacordo ao previsto.

    Definição de Segurança

    A palavra segurança, de acordo com o dicionário, pode ser interpretada sob dois contextos:

    • Primeiro, de “certeza, confiança, firmeza”. Que exprime uma condição de crença e convicção em si ou em outra pessoa.
    • Segundo, de “ação ou efeito de segurar; situação do que está seguro; afastado do risco/perigo.

    A palavra segurança, no contexto de proteger, refere-se ao ato de defender; afastar algo ou alguém do risco/perigo; abrigar-se do mal; resguardar-se; procurar mecanismos de defesa da vida e de seus direitos.

    O termo segurança vem do latim “securitas” e implica minimizar ou eliminar qualquer tipo de risco na vida. Implica os diversos agentes sociais nos processos de avaliação e prevenção de qualquer tipo de risco.

    Definição de Eletrônica

    A eletrônica é um conjunto de tecnologias relativamente novas e é considerada a 3ª Revolução Tecnológica da Humanidade.

    primeira foi a Revolução Industrial, com aproveitamento da energia do vapor.

    A a segunda foi a Revolução da Química e Eletricidade, com o desenvolvimento de combustíveis químicos, motores a combustão e motores elétricos.

    terceira revolução tecnológica da humanidade é a da Eletrônica, que vivemos até hoje.

    Eletrônica é a ciência que estuda a forma de controlar a energia elétrica por meios elétricos nos quais os elétrons têm papel fundamental.

    É o conjunto de tecnologias que permite o controle sobre duas grandezas da física: tensão elétrica e corrente elétrica.

    Um circuito eletrônico envolve o controle sobre a corrente e a voltagem, atua sobre a amplitude destas duas grandezas.

    Para realizar esta tarefa os circuitos eletrônicos controlam diretamente a intensidade da corrente elétrica e o nível de tensão, usando os fenômenos eletrônicos.

    Dentro desse contexto, podemos dizer que a eletrônica é o ramo da ciência que estuda o uso de circuitos formados por componentes elétricos e eletrônicos, com o objetivo principal de representar, armazenar, transmitir ou processar informações, além de controlar de processos e mecanismos.

    Definição de Segurança Eletrônica

    Segurança eletrônica é parte da segurança, que por meio de sistemas eletrônicos de segurança, projetados para dissuadir, monitorar, detectar e alarmar eventos previamente programados, busca promover a proteção de pessoas, numerários, bens e valores.

    É a utilização inteligente de sistemas eletrônicos capazes de fazer o monitoramento tanto de pessoas quanto de bens, valores, áreas e estabelecimentos, com o objetivo de detectar e inibir eventos indesejáveis.

    Refere-se ao emprego de equipamentos eletrônicos, de forma integrada e sistematizada com o objetivo de garantir a segurança e a integridade das pessoas e bens.

    É um conjunto de sistemas que alia tecnologia ao serviço de profissionais treinados para inibir ações criminosas, além de oferecer suporte contra incêndios e administrar situações de pânico entre outras.

    Para cumprir com a sua finalidade a segurança eletrônica faz uso de diversos sistemas eletrônicos de segurança.

    Na atualidade a segurança eletrônica é um recurso indispensável nas atividades da segurança privada e segurança pública.

    O emprego da segurança eletrônica nas atividades da segurança, deve ser objeto de um planejamento adequado.

    Esse planejamento deve ser conduzido por uma equipe multidisciplinar, composta por especialistas nas atividades da segurança e por técnicos especializados nos sistemas eletrônicos de segurança.

    A integração dos conhecimentos e experiencias de cada um desses especialistas, possibilitará a escolha e implementação do sistema eletrônico de segurança mais adequada as necessidades da organização.

    A instalação e manutenção dos sistema de segurança eletrônica devem ser feitos por equipe técnica credenciada e capacitada.

    Objetivos da Segurança Eletrônica

    Os sistemas eletrônicos de segurança têm como finalidades:

    • prevenir (dissuadir) ocorrências por meio do efeito dissuasivo;
    • detectar automaticamente o início de um evento indesejado;
    • comunicar, remotamente, que algo esta em desacordo ao previsto.

    Prevenir (dissuadir)

    O sistema eletrônico de segurança instalado funciona como um meio dissuasivo, desestimulando a ação criminosa.

    Ao perceber a existência do sistema, o agressor, faz uma avaliação da possibilidade de sucesso ou não da sua intensão.

    Um dos principais fatores motivadores a invasão é o anonimato e a possibilidade entrar e sair sem ser percebido.

    Um bom sistema de segurança eletrônico, pode neutralizar esses dois fatores e desmotivar a intenção criminosa.

    Os criminosos normalmente escolher locais menos protegidos para agirem.

    Nesse sentido, sistemas de segurança eletrônica podem reduzir e muito as intenção criminosas num estabelecimento.

    Detectar

    Por meio de sensores e controles, o sistema de segurança eletrônica poderá detectar a presença de pessoas não autorizadas e eventos indesejáveis numa área ou local pré-definido.

    A capacidade do sistema eletrônico de segurança detectar as presenças não autorizadas o torna uma ferramenta muito útil para segurança física de instalações.

    Os sistema da segurança eletrônica são capazes de fazer vigilância eletrônica de uma área ou local e de alertar sobre acessos não autorizados.

    Comunicar

    A partir da detecção de um evento indesejado, os sistemas eletrônicos de segurança podem avisar a ocorrência desse evento por meio de sistemas audiovisuais ou de forma remota, via sistemas de telecomunicações.

    A funcionalidade de um sistema de segurança eletrônica se reduz consideravelmente, se ele não dispuser de meios para comunicar a ocorrência de um evento indesejável a quem possa tomar alguma ação de contenção.

    Um bom sistema de segurança eletrônica deve prever e dispor de um sistema de pronta resposta aos sinais de alarmes comunicados.

    A pronta resposta deve ser capaz de tomar as medidas cabíveis e indicadas ao tipo de evento invejável comunicado pelo sistema, de forma a buscar sua contenção.

    Benefícios da Segurança Eletrônica

    • Redução dos recursos humanos;
    • Vigilância permanente;
    • Alertas de perigo em tempo real;
    • Integração entre diferentes sistemas;
    • Versatilidade dos sistemas.

    Redução dos Recursos Humanos

    Um projeto de segurança eletrônica bem elaborado pode reduzir e/ou alocar a mão de obra humana para funções mais nobres e estratégicas.

    Essa redução e realocação, incetiva o aprimoramento e qualificação dos recurso humanos, e consequentemente sua valorização e reconhecimento.

    Com a redução de gastos com a mão de obra humana é possível investir mais em qualificação, e remuneração atraente e motivadora para os profissionais da segurança.

    Atualmente é comum que a vigilância de postos perimetrais seja realizada por meio de sistemas eletrônicos de segurança, cabendo aos vigilantes a tarefa de rondas preventivas e averiguações de eventos anormais detectados e alarmados pelos sistema de segurança eletrônica.

    Vigilância Permanente

    Os sistemas de segurança eletrônica permitem vigilância permanente sobre pessoas, numerários, valores, bens, áreas e estabelecimentos.

    Por meio de centrais de monitoramento, é possível que a segurança eletrônica oferece vigilância vinte e quatro horas por dia, sem depender unicamente dos recursos humanos da segurança, uma vez que o sistema funciona automaticamente.

    Sistema de segurança mais completos, envolvendo alarmes e câmeras de segurança, podem acompanhar em tempo real as condições de segurança do local e armazenar imagens para consultas posteriores.

    Os sistemas podem ser concebidos e programas para vigiar e monitorar diversos tipos de eventos, tais como: violação de barreira perimetral, aberta de portas ou janelas, presença de pessoas, existência de fumaça, aumento de temperatura e etc.

    Alertas de Perigo em Tempo Real

    Os sistemas eletrônicos de segurança tem a possibilidade de enviar alerta, em tempo real, sobre a ocorrência de eventos indesejáveis detectados.

    Esses alertas podem ser enviados remotamente, para qualquer lugar, sempre que algo fora do normal for detectado pelas tecnologias implementadas.

    Dessa forma, é possível garantir que ações de contenção para evitar problemas maiores sejam tomadas de maneira mais rápida e eficaz.

    Integração Entre Diferentes Sistemas

    Atualmente os fabricantes de sistemas de segurança seguem protocolos de fabricação que permitem a fácil integração desses sistemas de segurança.

    Dessa forma, torna-se possível que sejam utilizadas diversas ferramentas de proteção ao mesmo tempo garantindo assim mais segurança ao lugar protegido.

    É possível fazer uma integração entre diferentes sistemas (cercas elétricas, sensores de presença e abertura, câmeras de segurança, entre outros.

    A integração de sistema permite um projeto de segurança mais robusto e dotado de medidas de segurança redundantes.

    Essa prática aumentando a dificuldade de acesso do invasor, que terá de vencer uma série de barreiras para alcançar seu objetivo.

    Versatilidade dos Sistemas

    Atualmente os sistemas de segurança eletrônica contam com o uso de várias tecnologias, o que possibilita grande versatilidade e alcance de uso.

    É possível conciliar diferentes sistemas, em diversos locais, com finalidades distintas e diversos orçamentos, inclusive.

    Os sistema mais simples podem ser monitorados pelo próprio dono do estabelecimento por meio de aparelhos celulares.

    Também há a possibilidade de contratar empresas especializadas na prestação de serviços de monitoramento de sistemas eletrônicos e segurança.

    Segmentos de Atuação da Segurança Eletrônica

    Segmentação de mercado significa dividi-lo, ou seja, agrupar os consumidores por segmentos (grupos), com características, necessidades e preferências similares.

    Assim, a empresa poderá identificar e privilegiar um ou vários segmentos de acordo com a sua gama de produtos, serviços e objetivos.

    A segurança eletrônica de acordo com seu segmento de atuação pode ser classificada em quatro grupos:

    • Desenvolvedores e fabricantes de sistemas eletrônicos de segurança;
    • Representantes e/ou vendedores de sistemas eletrônicos de segurança;
    • Instaladores e reparadores de sistemas eletrônicos de segurança;
    • Empresas de monitoramento de sistemas eletrônicos de segurança.

    Desenvolvedores e Fabricantes de Sistemas Eletrônicos de Segurança

    São aquelas empresas que pesquisam, desenvolvem e fabricam os componentes, equipamentos e recursos utilizados nos sistemas eletrônicos de segurança.

    O desenvolvimento de novos produtos e tecnologias para segurança envolve a compreensão das necessidades e oportunidades do mercado.

    Não há um padrão que determine qual processo de desenvolvimento de novos produtos é o correto ou mais correto, ele esta ligado diretamente a cultura e organização de cada empresa.

    O que podemos definir de comum entre esses processos, é que em todos os casos, as empresas enxergam o desenvolvimento de novos produtos importante para se manterem competitivas e vivas no seu segmento de atuação.

    Muitos são os processos ligados ao desenvolvimento de novos produtos na área da segurança, envolvem interação entre as áreas de marketing, engenharia, desenvolvimento, produção, qualidade e comercial, entre outras.

    A procura incessante de novas tecnologias pelos desenvolvedores e a grande competitividade que a indústria dos sistemas de segurança apresenta é positiva para todos os que atuam na área da segurança privada e pública.

    No passado, os sistemas eletrônicos de segurança eram praticamente todos importados, fabricados em outros Países. Atualmente, empresas 100% brasileiras ou multinacionais instaladas no Brasil, já desenvolvem e fabricam esses sistemas de segurança aqui no País, o que torna seu valor mais acessível.

    Vendedores de Sistemas Eletrônicos de Segurança

    São aquelas empresas representantes e/ou que comercializam os sistemas eletrônicos de segurança para a população como um todo, são as lojas especializadas ou comércio de equipamento eletrônico de forma geral.

    Atualmente é possível encontrar equipamentos de segurança eletrônica em diversos tipos de loja no varejo. Porém, do ponto de vista da segurança, é importante que a compra seja feita em lojas especializadas e idôneas, que garantam a qualidade e procedência dos esquipamentos.

    A simples instalação de um sistema de segurança eletrônica, por exemplo, não é garantia da segurança que se necessita, é preciso que o fornecedor dos equipamentos de segurança disponha do reconhecimento público quanto à qualidade dos produtos que comercializa e dos serviços que presta.

    O fornecedor de equipamentos de segurança eletrônica deve ser o fiador do desempenho e qualidade do sistema de segurança oferecido.

    Em alguns casos específicos, alguns vendedores/representantes, além de vender os equipamentos, oferecem também os serviços de instalação e manutenção preventiva e corretivas dos mesmos.

    Instaladores de Sistemas Eletrônicos de Segurança

    São empresas ou profissionais autônomos que realizam a instalação e manutenção preventiva e/ou corretiva dos equipamentos utilizados nos sistemas eletrônicos de segurança.

    A instalação ou a manutenção dos sistemas eletrônicos de segurança requerem o emprego de profissionais habilitados para a função.

    Profissional habilitado refere-se a pessoa com formação em elétrica ou eletrônica, especializada no tipo de sistema eletrônico de segurança que pretende instalar ou manutenir.

    Profissional com esse perfil tende a ser mais responsável e zeloso no trabalho, porque sabem da sua responsabilidade por serem conhecedores das normas técnicas e profissionais da atividade.

    Os profissionais habilitados sabem das responsabilidades que a profissão emprega a eles, nos âmbitos do direito civil e penal.

    A instalação de um sistema de segurança eletrônica carece de um projeto de segurança especifico referente ao serviço a ser executado.

    Somente os profissionais habilitados podem fazer projetos e implantações com recolhimento de ART (Anotação de Responsabilidade Técnica), o que já é uma garantia de um excelente serviço e de que se alguma coisa não der certo, o cliente terá a quem recorrer.

    Em alguns casos específicos, os instaladores também efetuam a venda dos equipamentos de segurança.

    Empresas de Monitoramento de Sistemas Eletrônicos de Segurança

    Empresas de Monitoramento de Sistemas Eletrônicos de Segurança são aquelas que oferecem a prestação de serviço voltada para o monitoramento de sistemas eletrônicos de segurança.

    O Monitoramento consiste no acompanhamento em tempo real, online e remoto, dos sinais emitidos pelos sensores e câmeras instaladas num estabelecimento ou área.

    De forma que, toda vez que houver uma variação do sinal ou imagem enviada, que seja considerada anormal pelo sistema, um sinal de alarme seja emitido, para que o operador do sistema adote as medidas cabíveis para o controle e normalização da situação.

    Assim que os operadores da central identificam o sinal de alarme, ele para a executar um conjunto de ações determinadas previamente, como verificação por telefone, inspeção técnica, acionamento da polícia, entre outras.

    A inspeção técnica consiste no deslocamento de um profissional desarmado ao local de origem do sinal enviado pelo sistema de alarme para verificação, registro e comunicação do evento à central de monitoramento.

    Legislação sobre Segurança Eletrônica

    A segurança eletrônica ainda não possui uma regulamentação federal sobre suas atividades.

    Encontra-se em andamento no Senado Federal o processo de aprovação do Estatuto da Segurança Privada, lei que visa a regulamentação da segurança eletrônica no Pais.

    O Estatuto pretende regulamentar o seguimento das empresas de monitoramento de sistema eletrônico de segurança. Onde:

    Monitoramento de Sistemas Eletrônicos de Segurança é o processo de estabelecer contato, em tempo real e de forma remota, com sistemas de segurança eletrônica, de forma a receber, analisar, tratar e armazenar dados, informações e imagens, detectadas e captadas pelos respectivos sistemas de segurança.

    Assim como, adotar medidas preventivas ou reativas, em tempo adequada, quando a análise das informações e dados enviados indicarem necessidade de intervenções da Central de Monitoramento.

    Profissionais da Segurança Eletrônica Segurança

    • Supervisor de monitoramento de Sistema Eletrônico de Segurança: profissional encarregado do controle operacional dos serviços de monitoramento realizados e responsável direto pelos técnicos externos e operadores do sistema de monitoramento.
    • Técnico Externo de Sistema Eletrônico de Segurança: profissional é encarregado de prestar os serviços de inspeção técnica decorrente dos sinais emitidos pelos equipamentos das empresas de sistemas eletrônicos de segurança.
    • Operador de Sistema Eletrônico de Segurança: profissional responsável pela operação da central de monitoramento de sistemas eletrônicos de segurança.

    Tecnologias Utilizados na Segurança Eletrônica

    A segurança eletrônica conta com diferentes tipos de tecnologias e equipamentos para garantir que os ambientes realmente fiquem protegidos.

    Essas tecnologias de segurança podem ser agrupadas em:

    • Sensores de detecção (presença, intrusão, abertura, temperatura, gazes e etc.);
    • Centrais de alarme;
    • Câmeras de Segurança;
    • Sistema de identificação; e
    • Sistemas de bloqueio.

    Sensores de Segurança

    Sensores de segurança são um tipo dispositivo que responde a um estímulo físico/químico de maneira específica e que pode ser transformado em outra grandeza física para fins de medição e/ou monitoramento.

    Desta forma, o sensor associado a um módulo de transformação do estímulo em uma grandeza para fins de medição e/ou monitoramento pode ser definido como transdutor ou medidor, que converte um tipo de energia em outro.

    Os sensores são peças fundamentais da segurança eletrônica, de forma simplificada, eles são a base de um sistema de alarmes.

    São equipamentos formados por componentes elétricos e eletrônicos, com o objetivo principal de detectar, captar, processar e transmitir dados e informações úteis para prática das atividades da segurança.

    A segurança eletrônica faz uso de diversos tipos de sensores, dentre eles podemos citar:

    • sensores de presença/intrusão -detectam a presença ou passagem de pessoas e objetos no ambiente sob vigilância;
    • sensores de vibração – identificam sinais de vibração no objeto monitorado;
    • sensores de impacto – detectam choques, colisões ou pancadas no objeto monitorado;
    • sensores de temperatura – identificam variação de temperatura no ambiente ou objeto sob monitoramento;
    • sensores de abertura – detectam abertura de recipientes, portas, janelas etc.
    • sensores de detecção de componentes químicos – identificam a presença de gazes e fumaça no ambiente, por exemplo.
    • etc.

    Centrais de Alarme

    As centrais de alarmes são, de modo geral, uma caixa formada por um conjunto integrada de placas de circuitos eletrônicos, que recebem os sinais e informações enviados pelos sensores, analisam, e quando constatam alguma alteração, enviam sinais de alerta.

    Centrais de alarmes são alimentadas por bateria, o que permite seu funcionamento, por tempo limitado, com a ausência de fonte de energia externa.

    As centrais de alarme são as responsáveis pela conexão com as Centrais de Monitoramento.

    Os tipos de sinais de alerta variam de acordo com o equipamento e a programação realizada, mas podem ser exemplo:

    • acionamento de sirenes e/ou luzes;
    • envio de mensagens via rede telefone e/ou celular, e
    • acionamento de centrais de monitoramento.

    Câmeras de Segurança

    Câmeras de segurança são equipamentos eletrônicos destinados a converter níveis de iluminação e cor em sinais elétricos, seguindo certos padrões.

    As câmeras possuem elementos (sensores) que captam a imagem, processam e transmitem para um sistema de controle.

    Atualmente, existem diversos tipos de câmeras que foram projetadas para diversas aplicações e ambientes diferentes.

    Além de proporcionar uma sensação de segurança maior, o sistemas de vigilância com câmeras reduzem o custo com vigilância humana, uma vez que o controle delas podem estar centralizados em um ponto apenas.

    Circuito Fechado de TV refere-se a um sistema de captura e transmissão de imagens fechado ou seja as imagens geradas somente são distribuídas para os elementos integrantes do sistema, impossibilitando assim que pessoas alheias ao sistema vejam ou utilizem essas imagens para diversos fins.

    O principal objetivo de um Circuito Fechado de TV é fazer a monitoração de
    diversos ambientes ao mesmo tempo, e oferecer recursos para armazenar as imagens geradas.

    As câmeras de segurança são uma das tecnologias que mais crescem e se destacam na atualidade.

    Sistema de Identificação

    Sistema de identificação refere-se as tecnologias utilizadas para identificação de pessoas e objetos junto aos sistemas de controle de acesso.

    Existem diversas formas de identificação dos indivíduos a um sistema de controle de acesso.

    A escolha da tecnologia deve levar em considerações as condições físicas do ambiente e a disponibilidade de recursos financeiros para investimentos no sistema.

    Os sistemas de identificação podem fazer uso de tecnologias do tipo: teclados para digitação de senhas, leitores de cartões (RFID ou código de barras), leitores biométricos (identificação de impressões digitais, geometria da mão, reconhecimento facial dentre outros).

    Sistemas de Bloqueio

    Sistemas de bloqueio são as barreiras físicas utilizadas para segregar e controlar acesso as áreas controladas das de uso comum, ou seja, é o meio de conexão do individuo (pessoa ou veículo) as áreas segregadas.

    Tem a função de broquear os acessos não permitidos e de controlar os acessos permitidos. São exemplos de dispositivos de bloqueios portas, portões, cancelas, catracas dentre outros.

    Os dispositivos são escolhidos de acordo com a área que se deseja segredar e em relação ao que se deseja controlar acesso, pessoas ou veículos.

    Sistemas de Segurança Eletrônica

    Sistemas eletrônicos de segurança são um conjunto integrado de equipamentos mecânico e elétricos, assistidos por circuitos eletrônicos projetados, desenvolvidos e construídos para auxiliar a segurança nas suas atividades de proteção e monitoramento de pessoas, numerários, bens, valores, eventos, áreas e estabelecimentos.

    São equipamentos formados por componentes elétricos e eletrônicos, com o objetivo principal de detectar, captar, processar, armazenar e transmitir dados e informações úteis para prática das atividades da segurança.

    Um sistema de segurança eletrônica pode ser composto de diversas tecnologias e soluções, dependendo sempre do fim a que se destina.

    Pode ser composto por sistemas de CFTV, sistemas de alarme, sistemas de incêndio, sistemas de controle de acesso e uma infinidade de outros recursos que podem ajudar a proteger determinado ambiente.

    Nesse contexto, os desenvolvedores e fabricantes de sistemas eletrônicos de segurança estão em constante processo de pesquisa e desenvolvimento de novas tecnologias que possam ser agregadas a segurança.

    Para atender a demanda e expectativas de seus usuários, a segurança eletrônico lança mão de uma série de recursos e tecnologias, de acordo com as necessidades de cada cliente.

    Dúvidas frequente sobre Segurança Eletrônica

    O que significa segurança eletrônica?

    Segurança eletrônica é parte da segurança, que por meio de sistemas eletrônicos de segurança, projetados para dissuadir, monitorar, detectar e alarmar eventos previamente programados, busca promover a proteção de pessoas, numerários, bens e valores.

    Quais os objetivos da segurança eletrônica?

    • prevenir (dissuadir) ocorrências por meio do efeito dissuasivo;
    • detectar automaticamente o início de um evento indesejado; e
    • comunicar, remotamente, que algo não em desacordo ao previsto.

    Quais as tecnologias utilizadas na segurança eletrônica?

    • Sensores de detecção (presença, intrusão, abertura, temperatura, gazes e etc.);
    • Centrais de alarme;
    • Câmeras de Segurança;
    • Sistema de identificação; e
    • Sistemas de bloqueio.

    Como funcionam os sistemas de segurança eletrônica?

    Os sistemas de segurança eletrônica funcionam através de sensores que captam e enviam a centrais de alarmes, variações físicas do ambiente ou do objeto monitorado, a central analisa esses dados, e se forem considerados eventos indesejáveis, a central emite sinais de alerta, que podem se visuais, sonoros ou enviados para sistema de telefonia e centrais de monitoramento.

    O que faz um técnico em segurança eletrônica?

    • Realiza projetos sobre segurança eletrônica;
    • Instalação e configuração de sistemas de segurança eletrônica;
    • Programação de sistemas entre outras atividades da função;
    • Consertos e reparos em geral de sensores, alarmes e CFTV,
    • Realiza a manutenção preventiva e corretiva de sistemas eletrônicos de segurança e
    • presta suporte às equipes de instalação e manutenção, auditando unidades instaladas para garantir a qualidade dos serviços.

    Locais onde utilizar a segurança eletrônica

    Tem em vista a grande diversidade de equipamentos existentes, a segurança eletrônica pode ser utilizada em praticamente todos os locais privados ou públicos, dentre os quais podemos citar:

    • Condomínios residenciais, comerciais ou industriais;
    • Escolas, hospitais, hotéis, restaurantes;
    • Órgãos Públicos;
    • Empresas, industrias e comércio;
    • Residencias e lojas;
    • Vias públicas, etc.

    Qual a legislação/lei sobre segurança eletrônica?

    Na atualidade a segurança privada ainda não é regulamentada por uma legislação especifica.

    Está em tramite no Senado Federal o Estatuto da Segurança Privada, considerado uma revolução na legislação sobre a segurança privada.

    O Estatuto da Segurança Privada tem entre seus objetivos, o de regulamentar a atividade da segurança eletrônica no País, no que refere a prestação de serviços de Monitoramento de Sistemas Eletrônicos de Segurança.

    Leia mais