• Atendimento: Segunda – Sexta | 7:42 – 12:00 | 13:30 – 18:00
  • Plantão 24 horas (47) 3521 3046
  • Archives for Segurança Eletrônica

    Rastreamento de veículos

    Rastreamento de veículos: 4 razões para implantar na sua empresa

    Que tal unir eficiência de trabalho e segurança com um único mecanismo? Estamos falando do rastreamento de veículos, uma forma assertiva de gestão de frota para a sua empresa.

    Com esse sistema é possível acompanhar  a atuação dos veículos em tempo real e identificar situações de risco, problemas mecânicos ou qualquer outra adversidade.

    Além disso, você pode criar um planejamento estruturado de rotas, com redução de custos e maior segurança dos colaboradores, do veículo e das cargas, se houver.

    Um fator determinante para utilizar um sistema de rastreamento veicular é a segurança das cargas.  Isso porque as mercadorias possuem valores elevados e chamam a atenção para furtos e roubos, além da deterioração do veículo para furtar combustíveis e pneus, por exemplo.

    Apesar da redução no número de ocorrências de roubo de cargas nas estradas federais brasileiras, de acordo com dados da Polícia Rodoviária Federal (PRF), que apontou recuo de  27,1% em agosto deste ano, manter a segurança do veículo segue sendo uma necessidade primordial.

    Em 2019, por exemplo, também no mês de agosto, foram feitos 81 registros de roubo. Na comparação do primeiro semestre deste ano (536 ocorrências) com o mesmo período de 2019 (577 registros), a queda foi de 7,1%.

    Segundo o relatório de 2019 realizado pela Associação Nacional de Transportes de Cargas e Logística (NTC&Logística), os produtos que apontaram maior índice de furtos foram os combustíveis, bebidas, farmacêuticos, alimentícios e cigarros.

    Existem dois fatores que têm contribuído para a diminuição das ocorrências.

    O primeiro são as ações de combate a crimes em estradas federais feitas pelos órgãos de segurança dos Estados. Já o segundo é o investimento elevado das empresas de transporte no gerenciamento de risco, pois promove recursos de aprimoramento na gestão dos processos, além da implantação de tecnologias de rastreamento e bloqueio veicular.

    Implementar um sistema de segurança veicular é um investimento válido, inclusive para empreendimentos de menor porte.

    Se você é dono de uma empresa ou gerente, confira nosso artigo e conheça as principais vantagens do rastreamento veicular e do monitoramento de frota.

    1. CONTROLE DA FROTA EM TEMPO REAL

    O rastreamento de veículos permite aos gestores o acesso a dados importantes Um deles é a localização em tempo real que permite observar como os carros estão sendo utilizados pelos motoristas e onde eles estão a cada etapa do processo logístico.

    É possível visualizar, através do sistema de segurança  qual é a rota de cada veículo, o trajeto percorrido, a velocidade média de deslocamento e a identificação do motorista responsável.

    Outro ponto importante sobre esses dados precisos é a possibilidade de melhorar o atendimento ao cliente, já que o processo de entrega pode se tornar mais rápido, através do sistema de segurança que permite a identificação de áreas de difícil travessia e trechos com engarrafamento, por exemplo.

    Tudo isso graças a geocodificação que permite transformar dados de localização (como endereços, estabelecimentos, coordenadas) em uma geolocalização com latitude e longitude.

    2. MAIS PLANEJAMENTO, MAIS ECONOMIA

    Como dissemos anteriormente, ao implantar um sistema de gestão de frotas é possível ter o controle absoluto sobre a entrega das mercadorias ou da prestação de serviço e ainda analisar as melhores rotas para aquele destino.

    Desse modo, cria-se um planejamento apurado e bem definido com os trajetos mais adequados para que os veículos cheguem ao local sem grandes dificuldades, evitando os atrasos de tráfego, e assim acumulando vantagens.

    Com isso, fica mais fácil calcular um deslocamento mais ágil e economizar o combustível na execução das rotas programadas. O desperdício de combustível se dá pelo tempo ocioso sem necessidade e pelo excesso de velocidade.

    Essas atividades podem ser identificadas com um sistema de rastreamento de frotas por GPS.

    Os veículos parados sem motivo aparente custam muito para a empresa. Além disso, cada quilômetro desnecessário eliminado vai diminuir a pegada de carbono – uma medida que calcula a emissão de carbono equivalente emitida na atmosfera – e poderá tornar a frota mais produtiva e ecologicamente responsável.

    3. CONSERVAÇÃO DOS VEÍCULOS E REDUÇÃO DE CUSTOS

    Mais um benefício a se mencionar: com um sistema de monitoramento será possível reduzir os custos administrativos e definir a manutenção dos veículos que compõem a frota.

    Sem um sistema especializado, os veículos geralmente são avaliados em determinados períodos, necessitando ou não de manutenção.  

    Um software adequado e de alta tecnologia permite o monitoramento contínuo e envia alertas para notificar a necessidade de manutenção ou reparos de um determinado veículo.

    As vantagens são muitas, já que dessa forma haverá a redução no desgaste excessivo do motor e dos pneus, fator que prolonga a vida útil dos veículos e equipamentos.

    4. SEGURANÇA GARANTIDA

    Além de todo o cuidado com o veículo e a qualidade da execução das entregas de produtos ou serviços, os gestores que utilizam uma ferramenta de rastreamento de veículos para gestão de frotas ainda podem acompanhar a conduta do motorista, como o excesso de velocidade, por exemplo.

    Com as informações obtidas pelo software fica mais fácil orientar os colaboradores a terem direção responsável evitando acidentes.

    Além disso, em caso de ocorrências, os dados do veículo podem ser acessados ​​rapidamente para entrar em contato com a emergência.

    Agora que você já sabe quais são os principais benefícios ao implantar um sistema seguro de rastreamento de veículos fica mais fácil encontrar uma empresa especializada no assunto.

    Ainda tem dúvidas? Entre em contato conosco e saiba mais sobre nossos serviços!

    Leia mais
    Onde instalar as câmeras de monitoramento?

    Onde instalar as câmeras de monitoramento? 4 Dicas Imprescindíveis para a sua segurança

    Você decidiu instalar um sistema câmeras de monitoramento na sua casa ou empresa. Afinal, é necessário contar com equipamentos modernos, de tecnologia avançada para garantir mais tranquilidade na sua rotina. No entanto, por mais inteligência e precisão que estes itens oferecem, saber qual é a maneira correta de posicionar cada um deles faz toda diferença. Você sabe quais são os pontos estratégicos para inserir os equipamentos eletrônicos? Nesse artigo você vai saber como e onde posicionar as câmeras de monitoramento para obter melhores resultados do sistema de segurança e preservar seus bens e também sua integridade.

    Confira cada uma das dicas abaixo

    1. Faça um uma análise sobre o local

    Para iniciar o projeto de instalação de câmeras de monitoramento em um local é fundamental identificar quais são as situações que sugerem ameaça, das quais o ambiente está exposto. Essa análise, feita de forma técnica, vai apontar os pontos que merecem atenção.

    Com esse estudo de risco, haverá a indicação dos níveis críticos de cada ambiente, além de identificar as áreas mais vulneráveis. Dessa forma, irá definir quais são as prioridades de segurança. A partir disso, um plano de ações é desenvolvido com o objetivo de sanar esses problemas.

    Os pontos que mais demandam atenção costumam ser as entradas, locais com grande fluxo de pessoas, acesso aos fundos e ambientes com objetos de valor (como cofres, por exemplo). Mas mesmo assim, se faz necessário um estudo de caso, pois para cada empresa ou residência há espaço diferente a se monitorar. Por exemplo: enquanto uma residência apresenta maior vulnerabilidade nos ambientes externos e precisa de um número maior de câmeras nos muros, outra pode ter mais riscos na parte interna, com garagens e entradas de salas, sugerindo a instalação de câmeras nos arredores, como em janelas e portas internas. Para cada situação, uma análise específica que leva em conta características como o ramo de atuação e quantidade de funcionários (quando se fala de uma empresa), o tipo de planta, número de moradores da casa, entre outras observações.

    Depois de identificar os pontos que merecem atenção redobrada, o próximo passo é definir os melhores locais para a instalação das câmeras de monitoramento. Isso garante a você total cobertura dos ângulos do ambiente e mais eficiência nos resultados.  

    2. Preste atenção na altura em que os equipamentos serão instalados

    A altura em que as câmeras estão posicionadas faz toda diferença. Isso porque quanto mais elevado o equipamento estiver, mais precisa deve ser a resolução e iluminação das imagens. Mas se as câmeras estiverem numa altura próxima ao chão estarão expostas a atos de vandalismo. Infelizmente pode acontecer de as câmeras serem deterioradas por invasores durante um evento de risco, como em um assalto, por exemplo. Ou ainda ser retiradas antes mesmo de haver o registro de uma ocorrência. A determinação da altura ideal vai depender da finalidade da vigilância, do tipo de equipamento e da área a ser monitora. De forma geral, a instalação das câmeras deve ser feita em um local de difícil acesso e que fiquem a pouco mais de 3 metros de altura do chão.

    3. Faça o posicionamento correto das câmeras de segurança

    As instalações para áreas internas e externas demandam recursos diferentes. Isso porque os equipamentos que estiverem do lado de fora deverão resistir a adversidades como chuva, calor forte, ventania e outros. É possível proteger as câmeras embaixo de toldos e telhas, por exemplo. As câmeras de monitoramento em ambientes internos estão menos suscetíveis a variações climáticas e danos propositais, exigindo menos complexidade. No entanto, é preciso estar atento para as variáveis quanto aos diferentes locais internos.

    Áreas Internas

    Nas áreas internas, os cuidados com o posicionamento das câmeras de segurança podem ser menores, já que o equipamento não fica exposto. Nesses casos, as câmeras de segurança devem ser instaladas em pontos específicos que requeiram maior monitoramento. O risco de vandalismo nas áreas internas pode ser menor, mas mesmo assim é possível que as câmeras sejam direcionadas para outro local ou cobertas por algum objeto.

    Atente-se para a instalação próxima a portas, janelas com visão para a rua que podem capturar imagens de invasão, e em corredores. Nesses locais, a sugestão pode sem de câmeras com filmagem vertical.

    Áreas Externas

    No caso de câmeras externas, é recomendado colocá-las na direção oposta ao sol, pois os raios solares podem aquecer o sensor do equipamento. Caso seja necessário, é possível posicionar o equipamento de forma que a energia solar atinja a lateral ou em um ângulo indireto.

    4. Tenha cautela com a iluminação

    Para que tudo funcione de forma eficaz, a iluminação é o ponto chave no processo de instalação das câmeras de segurança. Dependendo da posição em que a câmera estiver, a luz do sol pode atrapalhar a nitidez da imagem capturada. Em contrapartida, se o local não for iluminado, é interessante instalar luzes próximas aos equipamentos de segurança.

    Sempre procure uma empresa responsável que faça todos os ajustes de ângulo e iluminação necessários para melhorar a qualidade das imagens e preservar o equipamento. Além da parte técnica, ela vai desenvolver um plano de ações ágeis e direcionadas à sua solução. Conhecer os pontos de atenção da sua propriedade pode contribuir para a sua proteção.

    Gostou do nosso conteúdo? Compartilhe com seus amigos e familiares e deixe um comentário sobre a sua experiência com os sistemas de monitoramento. Para mais informações solicite um orçamento ou acompanhe as novidades em nosso blog.

    Leia mais
    Projeto de segurança eletrônica para empresas

    Projeto de segurança eletrônica para empresas

    Estar seguro são duas palavras-chave essenciais. E atualmente, tornaram-se uma constante. Criar um projeto de segurança eletrônica para sua casa ou empresa possui inúmeros benefícios. E nesse artigo, vamos te mostrar alguns deles.

    São usados equipamentos eletrônicos que têm como principal objetivo garantir a segurança das pessoas, seus lares ou empresas. A alta tecnologia desse sistema possibilita total controle das atividades nos locais. A proteção precisa ser rápida e eficaz, sendo capaz de identificar, comunicar e bloquear o acesso não permitido de qualquer pessoa. Além disso, deverá registrar todos os eventos.

    Dessa forma, as empresas têm garantia de maior proteção quando é desenvolvido e aplicado um projeto de segurança eletrônica. Para o sucesso do projeto é preciso haver componentes específicos que vão garantir a sua eficácia.

    Diante da alta procura, os sistemas de segurança eletrônica estão cada vez mais acessíveis, com custo-benefício favorável. Além disso, com tanta tecnologia a necessidade de um segurança em tempo integral é reduzida ou descartada, oferecendo comodidade aos clientes. Com sistemas personalizados, câmeras com excelente qualidade e nitidez, fica mais fácil visualizar os ambientes e é possível acompanhar o que está acontecendo, em tempo real, pelo smartphone ou tablet, onde quer que você esteja.

    Abaixo você vai saber todos os itens necessários ao projeto para que haja efetividade nos resultados. Acompanhe!

    As vantagens da segurança eletrônica

    Quando se pensa em segurança na empresa onde se trabalha, imediatamente vem a sensação de tranquilidade, não é mesmo? Pois é esse o objetivo de um projeto de segurança eletrônica: proporcionar proteção a todas as pessoas que estão naquele ambientam, sejam os gestores, colaboradores, clientes ou fornecedores. Assim é possível garantir a redução de furtos ou outras situações de risco à vida e ao patrimônio.

    Aqui na Protegic trabalhamos da seguinte forma: para cada cliente, um projeto específico, de acordo com as necessidades. Por isso, antes da implantação, é preciso compreender todas as singularidades do cliente e da empresa, através de um processo perceptivo e detalhista. Desta forma, os profissionais poderão desenvolver um planejamento assertivo, cuidando da segurança do contratante como um todo.

    Depois disso é preciso estruturar e executar o serviço de montagem, infraestrutura, instalação, ativação, configuração e automação dos equipamentos. Após esse processo, a empresa e o próprio cliente conseguirão fazer o monitoramento do sistema de segurança de qualquer lugar, via internet.

    Ao receber o alerta do disparo do alarme, através da central de monitoramento, a equipe tática vai até o local para verificar a real situação. Conforme os dados da verificação, há dois procedimentos possíveis:

    Monitoramento por câmeras: Caso o cliente tenha monitoramento por câmeras, as imagens serão acessadas em tempo real, fator que otimiza a duração do atendimento.

    Em caso de disparo de alarme: O operador aciona a viatura mais próxima do local para verificação.

    Em caso de alarme seguido de desarme: O operador não aciona a viatura. Entende-se que o cliente se equivocou, caso contrário desarmaria o sistema com a senha de coação para casos emergenciais.

    Em caso de desarme com senha de coação: O operador aciona a Polícia Militar e em seguida aciona a viatura mais próxima. O atendente somente vai tomar alguma ação com a presença da Polícia Militar, para não pôr em risco a vida do cliente.

    O que não pode faltar em um projeto de segurança eletrônica?

    Sistema de alarmes

    O sistema de alarme é composto por equipamentos que identificam irregularidades no ambiente. Detecta a presença de pessoas estranhas e diversos tipos de ocorrências, com invasão, incêndio, entre outros. O objetivo é detectar e comunicar através de um um sinal sonoro.

    CFTV (Circuito Fechado de Televisão)

    O CFTV é elaborado com equipamentos que captam imagens de um ambiente sendo possível transmiti-las, visualizar e grava-las. Permite a vigilância de diferentes ambientes através de um software, sendo capaz de detectar eventos incomuns, com a emissão de alarme.

    Central de monitoramento

    Com uma moderna e avançada central de monitoramento 24 horas é possível monitorar alarmes, servidores de imagens e também a gravação remota das captações do cliente. Além disso, são disponibilizados os serviços preventivos e de manutenção para garantir a eficiência e a durabilidade dos equipamentos.

    Com essas informações você já sabe o que procurar ao contratar uma empresa de vigilância e segurança. Baixe nosso e-book e obtenha todas as informações necessárias sobre segurança eletrônica. Para mais detalhes, entre em contato conosco e garanta mais eficácia para a segurança da sua empresa.

    Leia mais
    Monitoramento Protegic

    Tenha mais tranquilidade com o sistema de monitoramento

    Quem nunca viu uma placa com os dizeres “Sorria, você está sendo filmado”, não sabe o que é se sentir seguro ou monitorado, literalmente. E é disso que a gente vai falar neste artigo: monitoramento. Desde que a segurança passou a ser um direito fundamental, quer seja para pessoas ou para bens materiais, é nítido o crescimento dessa forma de fazer segurança.

    Nada pior do que estar fora da sua cidade, em uma viagem de lazer, por exemplo, e ser interrompido por pensamentos de preocupação. “Será que a casa está segura?” “Será que eu fechei o escritório?” “Vai estar tudo no lugar quando eu voltar?” “O que será que está acontecendo a essa hora da noite?” Ficar tranquilo ao sair para o trabalho ou para onde for, sabendo que sua empresa ou residência vão receber os devidos cuidados é o mínimo, afinal, sua saúde mental também merece uma trégua.

    Através de modernas câmeras e avançados sensores de invasão, é possível ter à disposição um monitoramento 24 horas tanto da sua casa, quanto do seu estabelecimento. E tudo isso pode ser acompanhado diretamente de seu tablet ou celular. Simples e prático, não é mesmo? Mas você já pôs isso em prática?

    Para um monitoramento eficiente os equipamentos são instalados em pontos específicos. As câmeras e sensores de invasão estão fixados no perímetro da sua casa ou empresa de forma que tudo seja vigiado por equipes que estarão de prontidão para agir em caso de invasão, incêndio ou emergência médica. Todo esse movimento preciso se dá em virtude da integração entre os equipamentos de detecção de possíveis invasões (sensores, alarmes, botões de pânico e sirenes) e o circuito interno de TV.  Além disso, você é informado imediatamente via internet, caso haja a necessidade de medidas mais urgentes.

    A seguir você conhecerá o funcionamento desses equipamentos, bem como os seus benefícios. Confira!

    Como funcionam os sistemas de monitoramento?

    Os sistemas de monitoramento captam imagem (e na maioria das vezes, sons) dos ambientes e enviam as informações para um software analítico, que interpreta os dados em busca de ocorrências suspeitas. O sistema acusa as mais diversas situações, como: aglomeração de pessoas, invasão, circulação repentina no ambiente, abandono de objetos sinistros e dezenas de outros comportamentos fora do habitual.

    No momento em que isso acontece, o software emite um alerta para a equipe de monitoramento, que começa a acompanhar a ocorrência em tempo real. Assim, irá avaliar qual ação deve ser tomada. Essa otimização é fundamental para que os profissionais envolvidos na segurança possam ter tempo hábil para tomar a decisão mais adequada e inibir a ocorrência.

    Esse sistema possui inúmeras vantagens, sendo:

    • Maior rapidez das equipes de segurança para agir diante as situações;
    • Diminuição na dependência da ação humana e, por consequência, redução de custos;
    • Prevenção de perdas, sejam elas quais forem;
    • Ganho de eficiência.

    As facilidades do monitoramento remoto

    A central de monitoramento é a peça chave para o sucesso de uma ocorrência suspeita. Lá estão as equipes que monitoram os ambientes dos clientes de forma eficaz, otimizada e inteligente. Isso permite observar os eventos detectados pelo software interno. Normalmente, cada operador é responsável por monitorar um conjunto de plantas ou parte delas, e atuam em regime de troca de turnos, para que a gestão de eventos possa acontecer 24h por 7 dias da semana.

    Você sabia que há uma grande diferença entre monitorar imagens e monitorar eventos? Pois é. É que no primeiro caso é comum haver sistemas sem inteligência monitorando os ambientes e que não possuem sensores ou analíticos de vídeo. Isso gera a necessidade de observação constante das telas de monitoramento em busca de qualquer situação fora da conformidade, o que torna a atividade dos operadores cansativa e até mesmo improdutiva.

    Com a análise de vídeo inteligente o foco fica concentrado na detecção de eventos. Desse modo, o operador olha para imagem quando uma ocorrência acontece, ao invés da observação ininterrupta e cansativa. É somente quando o alerta é gerado na central que os operadores entram em ação para analisar a imagem.

    Para cada ocorrência, uma tomada de ação

    Pronto, a ocorrência foi identificada. E agora? É preciso solucionar, certo? Por isso, para garantir a proteção completa de um local ou das pessoas, o ideal é tratar as situações necessárias após observar sua ocorrência. Para que isso ocorra, a empresa deve montar, juntamente ao cliente, um plano de ações a ser tomadas após a identificação de cada evento específico.

    Nós já falamos aqui no blog sobre as funcionalidades do armazenamento em nuvem que serve para armazenar as imagens dos eventos do cliente. As imagens ficam disponíveis no servidor da empresa de monitoramento por um determinado período e podem ser recuperadas para análises necessárias.

    Equipamentos de CFTV

    Os serviços de manutenção preventiva e corretiva dos equipamentos do circuito de vídeo são fundamentais. Eles são capazes de identificar automaticamente se um dos aparelhos ficar fora do ar e imediatamente gerar um alerta para a equipe técnica.

    Dessa forma, a manutenção das câmeras e sensores garante o funcionamento otimizado de todo o circuito e evita imprevistos e surpresas. Imagine, por exemplo, buscar uma imagem específica no banco de dados e descobrir que ela não existe, pois uma das câmeras apresentou falha técnica no momento que precisava estar gravando. Ao evitar problemas como esse, o monitoramento por vídeo é mantido em sua máxima eficácia, proporcionando o tratamento proativo de todos os eventos. Não corra riscos e não deixe a preocupação fazer parte da sua rotina. Entre em contato conosco e encontre o serviço ideal para as suas necessidades.

    Leia mais
    Controles de Acesso

    Controles de acesso: sua segurança sob controle

    Nada melhor do que aliar tecnologia e segurança, não é mesmo? Pois é, esse é o papel dos controles de acesso, ferramentas cada vez mais utilizadas em residências e empresas para garantir a proteção de todos.

    O objetivo dos controles de acesso é de proporcionar proteção às pessoas, instalações , equipamentos, áreas, bens em geral, dados e informações através do impedimento de acessos não autorizados nos ambientes. Controlar o fluxo de pessoas, independente do local, é uma importante estratégia de segurança.

    Com tanta facilidade, fica mais preciso o acompanhamento dos horários onde há maior circulação de pessoas, e é possível saber de forma precisa quem está nos locais e o que está fazendo com o registro eletrônico das entradas e saídas.

    A solução ideal é aquela que vai de acordo com a necessidade específica do cliente. As variedades para garantir segurança extra são inúmeras e o mercado não para de apostar em novas tecnologias. Existem, por exemplo, os controles de acesso biométricos, comumente utilizados por condomínios e empresas. Há ainda o acesso facial que permite fazer a leitura do rosto do usuário em até 0,3 segundos. O controle por dispositivos móveis também é uma ótima opção, já que esse tipo de inovação está sendo aprimorada de forma acelerada. A liberdade de passar o controle de acesso para telefones, tablets, pulseiras, relógios e outros dispositivos vestíveis é uma questão de preferência do usuário. Ou seja, são muitos os benefícios e praticidade de manter seus dados, bens e pessoas em segurança.

    Nesse artigo, vamos falar sobre as diferentes formas de garantir mais proteção ao seu dia a dia. Vem com a gente!

    Fale com a Protegic

    Conheça os tipos de controles de acesso disponíveis no mercado

    A segurança há tempos deixou de ser vista como algo “para depois”. Hoje, mais do que nunca, ela é primordial. Seja a segurança de dados, de bens materiais ou até mesmo pessoal, manter-se protegido e aos demais é imprescindível. Como dito no início deste artigo, os controles de acesso gerenciam todo o tipo de movimentação em um ambiente, impedindo, inclusive, acessos não autorizados.

    E à medida que as implantações tecnológicas fazem parte cada vez mais do cotidiano, os controles de acesso também ganharam um plus. Agora, os melhores sistemas são integrados a um farto conjunto de tecnologias. A inteligência artificial faz todo o trabalho de identificação de quem solicita acesso. Os equipamentos utilizam recursos computacionais, como softwares e hardwares, e podem ser  câmeras de segurança, leitores biométricos, sistemas integrados de crachás, cartões de acesso, catracas eletrônicas, e alarmes, entre outros.

    A confirmação é feita através de login e senha, cartões, tags, etiquetas ou, acesso biométrico e o facial, como dissemos antes. A central de monitoramento é responsável por armazenar em um servidor as informações que são cadastradas e registradas em um sistema.

    Por que você precisa dos controles de acesso?

    Além da instalação de câmeras de segurança nos ambientes, conciliá-las aos controles de acesso possibilita mais efetividade na sua proteção. Os equipamentos  que restringem os acessos, como catracas, portas e cancelas é importante para a proteção de uma área restrita, mas podem ser limitados. Eles podem não sinalizar uma ocorrência e ou não são capazes, por exemplo, de bloquear a entrada de pessoas não autorizadas.

    Assim, os controles de acesso eletrônicos são altamente recomendados e as vantagens são inúmeras: Conheça mais algumas delas:

    • O nível de segurança dos locais é elevado
    • Não há a necessidade de contratar vigilantes para realizar a identificação das pessoas e assim permitir os acessos aos ambientes
    • Controle direto de quem acessa esses locais
    • Rápida identificação
    • Relatórios de análise para os administradores do local
    • Armazenamento de informações e suporte de diferentes tecnologias.

    As tecnologias aplicadas aos controles de acesso evoluem diariamente para contribuir com a nossa tranquilidade e, por que não dizer, com mais chance de se ter conforto, especialmente pela praticidade que oferecem.

    Uma tendência de mercado é a tecnologia NFC (Near Field Communication), que permite a troca de informações entre dois dispositivos sem contato através de radiofreqüência. As principais vantagens são a troca de dados facilitada entre smartphones equipados com essa tecnologia e a segurança das transações. Essas duas características têm uso em diversas aplicações do cotidiano, como a simples troca de imagens, contatos, informações em geral, carteira digital e identificador de identidade.

    Já o uso de Bluetooth possibilita utilizar os dispositivos móveis como credenciais. Assim, o usuário pode interagir com o sistema de acesso, sem a presença de intermediários. Com um aparelho de telefone é possível acompanhar tudo o que acontece em tempo real e gerar relatórios instantaneamente.

    Curtiu este post? Fique por dentro das novidades e saiba mais sobre os controles de acesso. Solicite um orçamento e garanta o que há de melhor em tecnologia e proteção para você e para os seus bens.

    Baixe o ebook Segurança Eletrônica gratuitamente
    Leia mais
    Segurança Eletrônica: Tudo o que você precisa saber

    Segurança Eletrônica: Tudo que você precisa saber

    Segurança eletrônica é parte da segurança, que por meio de sistemas eletrônicos, projetados para prevenir, monitorar, detectar e alarmar eventos previamente programados, busca promover a proteção de pessoas, numerários, bens e valores.

    Refere-se ao emprego de equipamentos eletrônicos, de forma integrada e sistematizada com o objetivo de garantir a segurança e a integridade das pessoas e bens.

    Os sistemas de segurança eletrônica permitem vigilância permanente sobre pessoas, numerários, valores, bens, áreas e estabelecimentos e tem como finalidades:

    • prevenir (dissuadir) ocorrências por meio do efeito dissuasivo;
    • detectar automaticamente o início de um evento indesejado; e
    • comunicar, remotamente, que algo esta em desacordo ao previsto.

    Definição de Segurança

    A palavra segurança, de acordo com o dicionário, pode ser interpretada sob dois contextos:

    • Primeiro, de “certeza, confiança, firmeza”. Que exprime uma condição de crença e convicção em si ou em outra pessoa.
    • Segundo, de “ação ou efeito de segurar; situação do que está seguro; afastado do risco/perigo.

    A palavra segurança, no contexto de proteger, refere-se ao ato de defender; afastar algo ou alguém do risco/perigo; abrigar-se do mal; resguardar-se; procurar mecanismos de defesa da vida e de seus direitos.

    O termo segurança vem do latim “securitas” e implica minimizar ou eliminar qualquer tipo de risco na vida. Implica os diversos agentes sociais nos processos de avaliação e prevenção de qualquer tipo de risco.

    Definição de Eletrônica

    A eletrônica é um conjunto de tecnologias relativamente novas e é considerada a 3ª Revolução Tecnológica da Humanidade.

    primeira foi a Revolução Industrial, com aproveitamento da energia do vapor.

    A a segunda foi a Revolução da Química e Eletricidade, com o desenvolvimento de combustíveis químicos, motores a combustão e motores elétricos.

    terceira revolução tecnológica da humanidade é a da Eletrônica, que vivemos até hoje.

    Eletrônica é a ciência que estuda a forma de controlar a energia elétrica por meios elétricos nos quais os elétrons têm papel fundamental.

    É o conjunto de tecnologias que permite o controle sobre duas grandezas da física: tensão elétrica e corrente elétrica.

    Um circuito eletrônico envolve o controle sobre a corrente e a voltagem, atua sobre a amplitude destas duas grandezas.

    Para realizar esta tarefa os circuitos eletrônicos controlam diretamente a intensidade da corrente elétrica e o nível de tensão, usando os fenômenos eletrônicos.

    Dentro desse contexto, podemos dizer que a eletrônica é o ramo da ciência que estuda o uso de circuitos formados por componentes elétricos e eletrônicos, com o objetivo principal de representar, armazenar, transmitir ou processar informações, além de controlar de processos e mecanismos.

    Definição de Segurança Eletrônica

    Segurança eletrônica é parte da segurança, que por meio de sistemas eletrônicos de segurança, projetados para dissuadir, monitorar, detectar e alarmar eventos previamente programados, busca promover a proteção de pessoas, numerários, bens e valores.

    É a utilização inteligente de sistemas eletrônicos capazes de fazer o monitoramento tanto de pessoas quanto de bens, valores, áreas e estabelecimentos, com o objetivo de detectar e inibir eventos indesejáveis.

    Refere-se ao emprego de equipamentos eletrônicos, de forma integrada e sistematizada com o objetivo de garantir a segurança e a integridade das pessoas e bens.

    É um conjunto de sistemas que alia tecnologia ao serviço de profissionais treinados para inibir ações criminosas, além de oferecer suporte contra incêndios e administrar situações de pânico entre outras.

    Para cumprir com a sua finalidade a segurança eletrônica faz uso de diversos sistemas eletrônicos de segurança.

    Na atualidade a segurança eletrônica é um recurso indispensável nas atividades da segurança privada e segurança pública.

    O emprego da segurança eletrônica nas atividades da segurança, deve ser objeto de um planejamento adequado.

    Esse planejamento deve ser conduzido por uma equipe multidisciplinar, composta por especialistas nas atividades da segurança e por técnicos especializados nos sistemas eletrônicos de segurança.

    A integração dos conhecimentos e experiencias de cada um desses especialistas, possibilitará a escolha e implementação do sistema eletrônico de segurança mais adequada as necessidades da organização.

    A instalação e manutenção dos sistema de segurança eletrônica devem ser feitos por equipe técnica credenciada e capacitada.

    Objetivos da Segurança Eletrônica

    Os sistemas eletrônicos de segurança têm como finalidades:

    • prevenir (dissuadir) ocorrências por meio do efeito dissuasivo;
    • detectar automaticamente o início de um evento indesejado;
    • comunicar, remotamente, que algo esta em desacordo ao previsto.

    Prevenir (dissuadir)

    O sistema eletrônico de segurança instalado funciona como um meio dissuasivo, desestimulando a ação criminosa.

    Ao perceber a existência do sistema, o agressor, faz uma avaliação da possibilidade de sucesso ou não da sua intensão.

    Um dos principais fatores motivadores a invasão é o anonimato e a possibilidade entrar e sair sem ser percebido.

    Um bom sistema de segurança eletrônico, pode neutralizar esses dois fatores e desmotivar a intenção criminosa.

    Os criminosos normalmente escolher locais menos protegidos para agirem.

    Nesse sentido, sistemas de segurança eletrônica podem reduzir e muito as intenção criminosas num estabelecimento.

    Detectar

    Por meio de sensores e controles, o sistema de segurança eletrônica poderá detectar a presença de pessoas não autorizadas e eventos indesejáveis numa área ou local pré-definido.

    A capacidade do sistema eletrônico de segurança detectar as presenças não autorizadas o torna uma ferramenta muito útil para segurança física de instalações.

    Os sistema da segurança eletrônica são capazes de fazer vigilância eletrônica de uma área ou local e de alertar sobre acessos não autorizados.

    Comunicar

    A partir da detecção de um evento indesejado, os sistemas eletrônicos de segurança podem avisar a ocorrência desse evento por meio de sistemas audiovisuais ou de forma remota, via sistemas de telecomunicações.

    A funcionalidade de um sistema de segurança eletrônica se reduz consideravelmente, se ele não dispuser de meios para comunicar a ocorrência de um evento indesejável a quem possa tomar alguma ação de contenção.

    Um bom sistema de segurança eletrônica deve prever e dispor de um sistema de pronta resposta aos sinais de alarmes comunicados.

    A pronta resposta deve ser capaz de tomar as medidas cabíveis e indicadas ao tipo de evento invejável comunicado pelo sistema, de forma a buscar sua contenção.

    Benefícios da Segurança Eletrônica

    • Redução dos recursos humanos;
    • Vigilância permanente;
    • Alertas de perigo em tempo real;
    • Integração entre diferentes sistemas;
    • Versatilidade dos sistemas.

    Redução dos Recursos Humanos

    Um projeto de segurança eletrônica bem elaborado pode reduzir e/ou alocar a mão de obra humana para funções mais nobres e estratégicas.

    Essa redução e realocação, incetiva o aprimoramento e qualificação dos recurso humanos, e consequentemente sua valorização e reconhecimento.

    Com a redução de gastos com a mão de obra humana é possível investir mais em qualificação, e remuneração atraente e motivadora para os profissionais da segurança.

    Atualmente é comum que a vigilância de postos perimetrais seja realizada por meio de sistemas eletrônicos de segurança, cabendo aos vigilantes a tarefa de rondas preventivas e averiguações de eventos anormais detectados e alarmados pelos sistema de segurança eletrônica.

    Vigilância Permanente

    Os sistemas de segurança eletrônica permitem vigilância permanente sobre pessoas, numerários, valores, bens, áreas e estabelecimentos.

    Por meio de centrais de monitoramento, é possível que a segurança eletrônica oferece vigilância vinte e quatro horas por dia, sem depender unicamente dos recursos humanos da segurança, uma vez que o sistema funciona automaticamente.

    Sistema de segurança mais completos, envolvendo alarmes e câmeras de segurança, podem acompanhar em tempo real as condições de segurança do local e armazenar imagens para consultas posteriores.

    Os sistemas podem ser concebidos e programas para vigiar e monitorar diversos tipos de eventos, tais como: violação de barreira perimetral, aberta de portas ou janelas, presença de pessoas, existência de fumaça, aumento de temperatura e etc.

    Alertas de Perigo em Tempo Real

    Os sistemas eletrônicos de segurança tem a possibilidade de enviar alerta, em tempo real, sobre a ocorrência de eventos indesejáveis detectados.

    Esses alertas podem ser enviados remotamente, para qualquer lugar, sempre que algo fora do normal for detectado pelas tecnologias implementadas.

    Dessa forma, é possível garantir que ações de contenção para evitar problemas maiores sejam tomadas de maneira mais rápida e eficaz.

    Integração Entre Diferentes Sistemas

    Atualmente os fabricantes de sistemas de segurança seguem protocolos de fabricação que permitem a fácil integração desses sistemas de segurança.

    Dessa forma, torna-se possível que sejam utilizadas diversas ferramentas de proteção ao mesmo tempo garantindo assim mais segurança ao lugar protegido.

    É possível fazer uma integração entre diferentes sistemas (cercas elétricas, sensores de presença e abertura, câmeras de segurança, entre outros.

    A integração de sistema permite um projeto de segurança mais robusto e dotado de medidas de segurança redundantes.

    Essa prática aumentando a dificuldade de acesso do invasor, que terá de vencer uma série de barreiras para alcançar seu objetivo.

    Versatilidade dos Sistemas

    Atualmente os sistemas de segurança eletrônica contam com o uso de várias tecnologias, o que possibilita grande versatilidade e alcance de uso.

    É possível conciliar diferentes sistemas, em diversos locais, com finalidades distintas e diversos orçamentos, inclusive.

    Os sistema mais simples podem ser monitorados pelo próprio dono do estabelecimento por meio de aparelhos celulares.

    Também há a possibilidade de contratar empresas especializadas na prestação de serviços de monitoramento de sistemas eletrônicos e segurança.

    Segmentos de Atuação da Segurança Eletrônica

    Segmentação de mercado significa dividi-lo, ou seja, agrupar os consumidores por segmentos (grupos), com características, necessidades e preferências similares.

    Assim, a empresa poderá identificar e privilegiar um ou vários segmentos de acordo com a sua gama de produtos, serviços e objetivos.

    A segurança eletrônica de acordo com seu segmento de atuação pode ser classificada em quatro grupos:

    • Desenvolvedores e fabricantes de sistemas eletrônicos de segurança;
    • Representantes e/ou vendedores de sistemas eletrônicos de segurança;
    • Instaladores e reparadores de sistemas eletrônicos de segurança;
    • Empresas de monitoramento de sistemas eletrônicos de segurança.

    Desenvolvedores e Fabricantes de Sistemas Eletrônicos de Segurança

    São aquelas empresas que pesquisam, desenvolvem e fabricam os componentes, equipamentos e recursos utilizados nos sistemas eletrônicos de segurança.

    O desenvolvimento de novos produtos e tecnologias para segurança envolve a compreensão das necessidades e oportunidades do mercado.

    Não há um padrão que determine qual processo de desenvolvimento de novos produtos é o correto ou mais correto, ele esta ligado diretamente a cultura e organização de cada empresa.

    O que podemos definir de comum entre esses processos, é que em todos os casos, as empresas enxergam o desenvolvimento de novos produtos importante para se manterem competitivas e vivas no seu segmento de atuação.

    Muitos são os processos ligados ao desenvolvimento de novos produtos na área da segurança, envolvem interação entre as áreas de marketing, engenharia, desenvolvimento, produção, qualidade e comercial, entre outras.

    A procura incessante de novas tecnologias pelos desenvolvedores e a grande competitividade que a indústria dos sistemas de segurança apresenta é positiva para todos os que atuam na área da segurança privada e pública.

    No passado, os sistemas eletrônicos de segurança eram praticamente todos importados, fabricados em outros Países. Atualmente, empresas 100% brasileiras ou multinacionais instaladas no Brasil, já desenvolvem e fabricam esses sistemas de segurança aqui no País, o que torna seu valor mais acessível.

    Vendedores de Sistemas Eletrônicos de Segurança

    São aquelas empresas representantes e/ou que comercializam os sistemas eletrônicos de segurança para a população como um todo, são as lojas especializadas ou comércio de equipamento eletrônico de forma geral.

    Atualmente é possível encontrar equipamentos de segurança eletrônica em diversos tipos de loja no varejo. Porém, do ponto de vista da segurança, é importante que a compra seja feita em lojas especializadas e idôneas, que garantam a qualidade e procedência dos esquipamentos.

    A simples instalação de um sistema de segurança eletrônica, por exemplo, não é garantia da segurança que se necessita, é preciso que o fornecedor dos equipamentos de segurança disponha do reconhecimento público quanto à qualidade dos produtos que comercializa e dos serviços que presta.

    O fornecedor de equipamentos de segurança eletrônica deve ser o fiador do desempenho e qualidade do sistema de segurança oferecido.

    Em alguns casos específicos, alguns vendedores/representantes, além de vender os equipamentos, oferecem também os serviços de instalação e manutenção preventiva e corretivas dos mesmos.

    Instaladores de Sistemas Eletrônicos de Segurança

    São empresas ou profissionais autônomos que realizam a instalação e manutenção preventiva e/ou corretiva dos equipamentos utilizados nos sistemas eletrônicos de segurança.

    A instalação ou a manutenção dos sistemas eletrônicos de segurança requerem o emprego de profissionais habilitados para a função.

    Profissional habilitado refere-se a pessoa com formação em elétrica ou eletrônica, especializada no tipo de sistema eletrônico de segurança que pretende instalar ou manutenir.

    Profissional com esse perfil tende a ser mais responsável e zeloso no trabalho, porque sabem da sua responsabilidade por serem conhecedores das normas técnicas e profissionais da atividade.

    Os profissionais habilitados sabem das responsabilidades que a profissão emprega a eles, nos âmbitos do direito civil e penal.

    A instalação de um sistema de segurança eletrônica carece de um projeto de segurança especifico referente ao serviço a ser executado.

    Somente os profissionais habilitados podem fazer projetos e implantações com recolhimento de ART (Anotação de Responsabilidade Técnica), o que já é uma garantia de um excelente serviço e de que se alguma coisa não der certo, o cliente terá a quem recorrer.

    Em alguns casos específicos, os instaladores também efetuam a venda dos equipamentos de segurança.

    Empresas de Monitoramento de Sistemas Eletrônicos de Segurança

    Empresas de Monitoramento de Sistemas Eletrônicos de Segurança são aquelas que oferecem a prestação de serviço voltada para o monitoramento de sistemas eletrônicos de segurança.

    O Monitoramento consiste no acompanhamento em tempo real, online e remoto, dos sinais emitidos pelos sensores e câmeras instaladas num estabelecimento ou área.

    De forma que, toda vez que houver uma variação do sinal ou imagem enviada, que seja considerada anormal pelo sistema, um sinal de alarme seja emitido, para que o operador do sistema adote as medidas cabíveis para o controle e normalização da situação.

    Assim que os operadores da central identificam o sinal de alarme, ele para a executar um conjunto de ações determinadas previamente, como verificação por telefone, inspeção técnica, acionamento da polícia, entre outras.

    A inspeção técnica consiste no deslocamento de um profissional desarmado ao local de origem do sinal enviado pelo sistema de alarme para verificação, registro e comunicação do evento à central de monitoramento.

    Legislação sobre Segurança Eletrônica

    A segurança eletrônica ainda não possui uma regulamentação federal sobre suas atividades.

    Encontra-se em andamento no Senado Federal o processo de aprovação do Estatuto da Segurança Privada, lei que visa a regulamentação da segurança eletrônica no Pais.

    O Estatuto pretende regulamentar o seguimento das empresas de monitoramento de sistema eletrônico de segurança. Onde:

    Monitoramento de Sistemas Eletrônicos de Segurança é o processo de estabelecer contato, em tempo real e de forma remota, com sistemas de segurança eletrônica, de forma a receber, analisar, tratar e armazenar dados, informações e imagens, detectadas e captadas pelos respectivos sistemas de segurança.

    Assim como, adotar medidas preventivas ou reativas, em tempo adequada, quando a análise das informações e dados enviados indicarem necessidade de intervenções da Central de Monitoramento.

    Profissionais da Segurança Eletrônica Segurança

    • Supervisor de monitoramento de Sistema Eletrônico de Segurança: profissional encarregado do controle operacional dos serviços de monitoramento realizados e responsável direto pelos técnicos externos e operadores do sistema de monitoramento.
    • Técnico Externo de Sistema Eletrônico de Segurança: profissional é encarregado de prestar os serviços de inspeção técnica decorrente dos sinais emitidos pelos equipamentos das empresas de sistemas eletrônicos de segurança.
    • Operador de Sistema Eletrônico de Segurança: profissional responsável pela operação da central de monitoramento de sistemas eletrônicos de segurança.

    Tecnologias Utilizados na Segurança Eletrônica

    A segurança eletrônica conta com diferentes tipos de tecnologias e equipamentos para garantir que os ambientes realmente fiquem protegidos.

    Essas tecnologias de segurança podem ser agrupadas em:

    • Sensores de detecção (presença, intrusão, abertura, temperatura, gazes e etc.);
    • Centrais de alarme;
    • Câmeras de Segurança;
    • Sistema de identificação; e
    • Sistemas de bloqueio.

    Sensores de Segurança

    Sensores de segurança são um tipo dispositivo que responde a um estímulo físico/químico de maneira específica e que pode ser transformado em outra grandeza física para fins de medição e/ou monitoramento.

    Desta forma, o sensor associado a um módulo de transformação do estímulo em uma grandeza para fins de medição e/ou monitoramento pode ser definido como transdutor ou medidor, que converte um tipo de energia em outro.

    Os sensores são peças fundamentais da segurança eletrônica, de forma simplificada, eles são a base de um sistema de alarmes.

    São equipamentos formados por componentes elétricos e eletrônicos, com o objetivo principal de detectar, captar, processar e transmitir dados e informações úteis para prática das atividades da segurança.

    A segurança eletrônica faz uso de diversos tipos de sensores, dentre eles podemos citar:

    • sensores de presença/intrusão -detectam a presença ou passagem de pessoas e objetos no ambiente sob vigilância;
    • sensores de vibração – identificam sinais de vibração no objeto monitorado;
    • sensores de impacto – detectam choques, colisões ou pancadas no objeto monitorado;
    • sensores de temperatura – identificam variação de temperatura no ambiente ou objeto sob monitoramento;
    • sensores de abertura – detectam abertura de recipientes, portas, janelas etc.
    • sensores de detecção de componentes químicos – identificam a presença de gazes e fumaça no ambiente, por exemplo.
    • etc.

    Centrais de Alarme

    As centrais de alarmes são, de modo geral, uma caixa formada por um conjunto integrada de placas de circuitos eletrônicos, que recebem os sinais e informações enviados pelos sensores, analisam, e quando constatam alguma alteração, enviam sinais de alerta.

    Centrais de alarmes são alimentadas por bateria, o que permite seu funcionamento, por tempo limitado, com a ausência de fonte de energia externa.

    As centrais de alarme são as responsáveis pela conexão com as Centrais de Monitoramento.

    Os tipos de sinais de alerta variam de acordo com o equipamento e a programação realizada, mas podem ser exemplo:

    • acionamento de sirenes e/ou luzes;
    • envio de mensagens via rede telefone e/ou celular, e
    • acionamento de centrais de monitoramento.

    Câmeras de Segurança

    Câmeras de segurança são equipamentos eletrônicos destinados a converter níveis de iluminação e cor em sinais elétricos, seguindo certos padrões.

    As câmeras possuem elementos (sensores) que captam a imagem, processam e transmitem para um sistema de controle.

    Atualmente, existem diversos tipos de câmeras que foram projetadas para diversas aplicações e ambientes diferentes.

    Além de proporcionar uma sensação de segurança maior, o sistemas de vigilância com câmeras reduzem o custo com vigilância humana, uma vez que o controle delas podem estar centralizados em um ponto apenas.

    Circuito Fechado de TV refere-se a um sistema de captura e transmissão de imagens fechado ou seja as imagens geradas somente são distribuídas para os elementos integrantes do sistema, impossibilitando assim que pessoas alheias ao sistema vejam ou utilizem essas imagens para diversos fins.

    O principal objetivo de um Circuito Fechado de TV é fazer a monitoração de
    diversos ambientes ao mesmo tempo, e oferecer recursos para armazenar as imagens geradas.

    As câmeras de segurança são uma das tecnologias que mais crescem e se destacam na atualidade.

    Sistema de Identificação

    Sistema de identificação refere-se as tecnologias utilizadas para identificação de pessoas e objetos junto aos sistemas de controle de acesso.

    Existem diversas formas de identificação dos indivíduos a um sistema de controle de acesso.

    A escolha da tecnologia deve levar em considerações as condições físicas do ambiente e a disponibilidade de recursos financeiros para investimentos no sistema.

    Os sistemas de identificação podem fazer uso de tecnologias do tipo: teclados para digitação de senhas, leitores de cartões (RFID ou código de barras), leitores biométricos (identificação de impressões digitais, geometria da mão, reconhecimento facial dentre outros).

    Sistemas de Bloqueio

    Sistemas de bloqueio são as barreiras físicas utilizadas para segregar e controlar acesso as áreas controladas das de uso comum, ou seja, é o meio de conexão do individuo (pessoa ou veículo) as áreas segregadas.

    Tem a função de broquear os acessos não permitidos e de controlar os acessos permitidos. São exemplos de dispositivos de bloqueios portas, portões, cancelas, catracas dentre outros.

    Os dispositivos são escolhidos de acordo com a área que se deseja segredar e em relação ao que se deseja controlar acesso, pessoas ou veículos.

    Sistemas de Segurança Eletrônica

    Sistemas eletrônicos de segurança são um conjunto integrado de equipamentos mecânico e elétricos, assistidos por circuitos eletrônicos projetados, desenvolvidos e construídos para auxiliar a segurança nas suas atividades de proteção e monitoramento de pessoas, numerários, bens, valores, eventos, áreas e estabelecimentos.

    São equipamentos formados por componentes elétricos e eletrônicos, com o objetivo principal de detectar, captar, processar, armazenar e transmitir dados e informações úteis para prática das atividades da segurança.

    Um sistema de segurança eletrônica pode ser composto de diversas tecnologias e soluções, dependendo sempre do fim a que se destina.

    Pode ser composto por sistemas de CFTV, sistemas de alarme, sistemas de incêndio, sistemas de controle de acesso e uma infinidade de outros recursos que podem ajudar a proteger determinado ambiente.

    Nesse contexto, os desenvolvedores e fabricantes de sistemas eletrônicos de segurança estão em constante processo de pesquisa e desenvolvimento de novas tecnologias que possam ser agregadas a segurança.

    Para atender a demanda e expectativas de seus usuários, a segurança eletrônico lança mão de uma série de recursos e tecnologias, de acordo com as necessidades de cada cliente.

    Dúvidas frequente sobre Segurança Eletrônica

    O que significa segurança eletrônica?

    Segurança eletrônica é parte da segurança, que por meio de sistemas eletrônicos de segurança, projetados para dissuadir, monitorar, detectar e alarmar eventos previamente programados, busca promover a proteção de pessoas, numerários, bens e valores.

    Quais os objetivos da segurança eletrônica?

    • prevenir (dissuadir) ocorrências por meio do efeito dissuasivo;
    • detectar automaticamente o início de um evento indesejado; e
    • comunicar, remotamente, que algo não em desacordo ao previsto.

    Quais as tecnologias utilizadas na segurança eletrônica?

    • Sensores de detecção (presença, intrusão, abertura, temperatura, gazes e etc.);
    • Centrais de alarme;
    • Câmeras de Segurança;
    • Sistema de identificação; e
    • Sistemas de bloqueio.

    Como funcionam os sistemas de segurança eletrônica?

    Os sistemas de segurança eletrônica funcionam através de sensores que captam e enviam a centrais de alarmes, variações físicas do ambiente ou do objeto monitorado, a central analisa esses dados, e se forem considerados eventos indesejáveis, a central emite sinais de alerta, que podem se visuais, sonoros ou enviados para sistema de telefonia e centrais de monitoramento.

    O que faz um técnico em segurança eletrônica?

    • Realiza projetos sobre segurança eletrônica;
    • Instalação e configuração de sistemas de segurança eletrônica;
    • Programação de sistemas entre outras atividades da função;
    • Consertos e reparos em geral de sensores, alarmes e CFTV,
    • Realiza a manutenção preventiva e corretiva de sistemas eletrônicos de segurança e
    • presta suporte às equipes de instalação e manutenção, auditando unidades instaladas para garantir a qualidade dos serviços.

    Locais onde utilizar a segurança eletrônica

    Tem em vista a grande diversidade de equipamentos existentes, a segurança eletrônica pode ser utilizada em praticamente todos os locais privados ou públicos, dentre os quais podemos citar:

    • Condomínios residenciais, comerciais ou industriais;
    • Escolas, hospitais, hotéis, restaurantes;
    • Órgãos Públicos;
    • Empresas, industrias e comércio;
    • Residencias e lojas;
    • Vias públicas, etc.

    Qual a legislação/lei sobre segurança eletrônica?

    Na atualidade a segurança privada ainda não é regulamentada por uma legislação especifica.

    Está em tramite no Senado Federal o Estatuto da Segurança Privada, considerado uma revolução na legislação sobre a segurança privada.

    O Estatuto da Segurança Privada tem entre seus objetivos, o de regulamentar a atividade da segurança eletrônica no País, no que refere a prestação de serviços de Monitoramento de Sistemas Eletrônicos de Segurança.

    Leia mais